quinta-feira, novembro 30, 2006

Dharmadhatu - Mundo da Inter-relação

No Sutra Avatamsaka, o dharmadhatu é descrito como um mundo de luz e inter-relação entre os seres. A lua está em mim. Minha amada está em mim. Também aqueles que me fazem sofrer estão em mim.Nosso mundo de discriminação e miséria é chamado de lokadhatu. É um mundo onde as coisas existem externamente a cada ser - eu estou fora de você, e Saddam Hussein está fora de George Bush. Mas no dharmadhatu, o presidente Hussein está no presidente Bush e não existe ódio ou culpa. No dharmadhatu, estamos no mundo maravilhoso da inter-relação dos seres. A vida e a morte se inter-relacionam. Ninguem tem medo de morrer, por que morrer significa renascer de outra forma. Quando uma nuvem morre, transforma-se em chuva. Para nutrirmos a nós mesmos, temos que adentrar o dharmadhatu.
O dharmadhatu, na verdade não difere do lokadhatu. Com um passo consciente, em contato com a Terra em plena percepção, adentramos no dharmadhatu e somos envolvidos pela luz. Somos tudo o que existe; não há discriminação.

Thich Nhat Hanh

quarta-feira, novembro 29, 2006

terça-feira, novembro 28, 2006

A Nuvem e a Chuva

Quando uma nuvem vai virar chuva, ela não fica com medo. Pode até ficar excitada. É ótimo ser uma nuvem flutuando no céu azul, mas a oportunidade para ser uma pequena chuva nos campos, no oceano ou nas montanhas também é uma coisa atraente. Enquanto cai como chuva, a nuvem canta.

Thich Nhat Hanh - A Essência dos Ensinamentos do Buda

sábado, novembro 25, 2006

Meditar Não é Fugir

Meditar não é evitar problemas ou fugir das dificuldades. Nossa prática não consiste em fugir. Nossa prática consiste em adquirir bastante força para enfrentar, efetivamente, os problemas. Para isso, precisamos estar calmos, sólidos e viçosos. É por isso que precisamos praticar a arte do ponto final. Quando aprendemos a parar, ficamos mais calmos, e a nossa mente , mais lúcida, como as águas que ficam mais claras após terem se assentado as partículas de lama. Sentando tranquilamente, apenas inspirando e expirando, desenvolvemos força, concentração e lucidez. Portanto sentem-se como uma montanha. Nenhum vento pode derrubar uma montanha.

Thich Nhat Hanh - Vivendo em Paz

sexta-feira, novembro 24, 2006

O Sagrado e o Profano

"Cada pensamento, cada ação tornam-se sagrados sob o sol da consciência. Sob esta luz não existe fronteira entre o sagrado e o profano"

Thich Nhat Hanh - O Sol, Meu Coração

quinta-feira, novembro 23, 2006

Cultivando a Liberdade

Para mim não existe felicidade sem liberdade. E a liberdade não nos é dada por ninguém: nós mesmo temos que cultivá-la! Quando nos sentamos , andamos, comemos ou trabalhamos, cultivamos a nossa liberdade. A liberdade é o que praticamos todos os dias. Não importam quais as condições ou em que lugar nos encontramos: se ivermos liberdade, seremos felizes.
Tenho muitos amigos que estiveram presos em campos de trabalho forçado, mas como conheciam a prática, não sofreram tanto. Na verdade, a foraça espiritual deles se tornou mais forte, o que me deixa muito orgulhoso.
Quando falo em liberdade, estou me referindo à liberdade relacionada à angústia à raiva, ao desespero. Se há raiva dentro de nós, precisamos transformá-la para porde ter de volta a liberdade. se estamos desesperads, precisamos reconhecer esta energia e não permitir que ela nos oprima. Todas as pessoas precisam praticar para transformar a energia do desespero e conquistar a liberdade que tanto merecem - a liberdade em relação ao desespero.
Podemos praticar a liberdade em qualquer momento da vida. Cada passo que dermos pode nos ajudar a reivindicar a liberdade. Cada respiração pode nos ajudar a desenvolver e cultivar a liberdade. Quando nos alimentamos, devemos comer como pessoas livres. Quando respiramos é importante respirarmos como pessoas livres. Isso é possível em qualquer lugar.

Thich Nhat Hanh - Sinta-se Livre Onde Você Estiver

quarta-feira, novembro 22, 2006

Tocar o Presente com Profundidade

Quando você toca uma coisa com profunda percepção, você toca tudo. O mesmo é válido para o tempo. Quando você toca um momento com profunda percepção, toca todos os momentos.(...)
Tocar o momento presente não equivale a se livrar do passado ou do futuro. Você, ao tocar o momento presente, constata que o presente é feito do passado e está criando o futuro. Tocando o presente, você entra em contato com o passado e o futuro ao mesmo tempo. Você toca globalmente a eternidade do tempo, a suprema dimensão da relaidade. Quando você toma uma xícara de chá intensamente, você toca o momento presente e o tempo na sua integridade. Foi o que fez São Francisco, ao tocar a amendoeira com tamanha profundidade que pôde vê-la florindo, mesmo em pleno inverno. Ele transcendeu o tempo.

Thich Nhat Hanh - Vivendo em Paz

segunda-feira, novembro 20, 2006

Educação para a Paz

"Por favor, pegue o seu filho ou a sua filha pela mão e caminhe lentamente pelo parque. Você poderá se surpreender ao notar que, enquanto você está apreciando a luz do sol, as árvores e os pássaros, seu filho se sente chateado. Os jovens de hoje se aborrecem facilmente. Estão acostumados com televisão, o nintendo, os brinquedos de guerra, música alta e outros tipos de excitação. À medida em que crescem, guiam carros velozes, ou experimentam álcool, drogas, sexo ou outras coisas que sobrecarregam seus corpos e suas mentes. Também nós, adultos, tentamos preencher nossa solidão com esse tipo de coisas, e todos sofremos. Temos que ensinar a nós mesmos e a nossos filhos a apreciar as alegrias simples que estão ao nosso alcance. Isso pode não ser fácil nesta sociedade complexa e dispersa, mas é essencial à nossa sobrevivência: sentar-se na grama com nossos filhos pequenos, mostrar-lhes as florzinhas azuis e amarelas que crescem entre a relva e admirar esse milagre juntos. A educação para a paz começa nesse instante".

Thich Nhat Hanh - Vivendo em Paz

sexta-feira, novembro 17, 2006

Gatha do Interser


"Você é eu e eu sou você.
Não é verdade que intersomos?
Você cultiva a flor em você de modo que serei belo,
E eu transformo o lixo em mim para que você não sofra".

Thich Nhat Hanh - Transformações na Consciência

quinta-feira, novembro 16, 2006

O Biscoito da Minha Infância


Quando eu tinha quatro anos de idade, minha mãe costumava me trazer um biscoito...Eu ia então para a frente de casa e levava um bom tempo para comê-lo...Eu dava uma mordidinha e olhava para o céu...Eu simplesmente gostava de estar ali, com o céu, a terra, os bambuzais, o gato, o cachorro, as flores. Não pensava no futuro nem lamentava o passado. Estava inteiramente no momento presente, com o meu biscoito, o cachorro...É possível fazer refeições com tanto vagar e alegria quanto as da minha infância. Talvez você tenha a impressão de ter perdido o biscoito da sua infância...Tudo ainda está aí...Podemos comer de forma tal que recupere para nós o biscoito da nossa infância. O momento presente...Se você prestar atenção...

Thich Nhat Hanh - Paz a Cada Passo

sábado, novembro 11, 2006

Quem é Você Minha Querida?

Quando foi a última vez que olhou nos olhos da sua amada e perguntou: "Quem é você, minha querida?". Não se satisfaça com uma resposta superficial. Pergunte novamente: "Quem é você, que assumiu o meu sofrimento como seu, minha felicidade como sua, minha vida e morte como suas? Meu amor, por que razão você não é uma gota de orvalho, uma borboleta ou um pássaro?" Pergunte com todo o seu ser. Se não prestar a devida atenção à pessoa que ama, estará cometendo uma espécie de assassinato. Quando estiverem juntos fazendo alguma coisa, e se perderem em seus próprios pensamentos, cada um presumindo que sabe tudo sobre o outro, na verdade um estará morrendo lentamente. Mas com atenção plena, será capaz de fazer renascer uma flor que ia murchar.

Thich Nhat Hanh - A Essência dos Ensinamentos de Buda

quinta-feira, novembro 09, 2006

Tudo Depende da Sua Paz

Se a terra fosse seu corpo, você poderia sentir as inúmeras áreas em que ela sofre. A guerra, a repressão e a fome espalham a destruição em muitos lugares. Muitas crianças ficaram cegas por estarem malnutridas. As mãos delas procuram nos montes de lixo coisas que possam trocar por um pouco de comida. Muitos adultos estão morrendo nas prisões, lentamente e sem esperanças. Outros são mortos por tentarem se opôr à violência. Temos armas nucleares suficientes para destruir dúzias de planetas iguais à Terra, mas mesmo assim continuamos a fabricar mais.
Conscientes de tudo isso, como podemos nos retirar para uma floresta, ou mesmo para o nosso quarto, e ficar sentados meditando? A paz que procuramos não pode ser um bem pessoal. Precisamos encontrar uma paz interior que permita nos tornarmos um com aqueles que sofrem, e fazermos alguma coisa para ajudar nossos irmãos e irmãs, o que significa dizer, ajudar a nós mesmos. Conheço muitos jovens que estão conscientes da verdadeira situação do mundo e que estão cheios de compaixão. Eles se recusam a se ocultar numa paz artificial e se lançam ao mundo a fim de mudar a sociedade. Eles sabem o que querem, mas depois de certo período ficam desanimados. Por quê? Por que estão desprovidos da paz interior profunda, o tipo de paz que podem levar consigo para a sua vida de ação. Nossa força não está nas armas, no dinheiro ou no poder. Ela está em nossa paz , na paz interior. Essa paz nos torna indestrutíveis. (...)
Essa paz não é uma barricada que o separa do mundo. Pelo contrário, esse tipo de paz traz você para o mundo e lhe dá o poder de fazer o que você quiser para ajudar - lutar em prol da justiça social, diminuir a diferença entre ricos e pobres, interromper a corrida armamentista, lutar contra a discriminação, e plantar mais sementes de entendimento, conciliação e compaixão. Em qualquer luta, você precisará de determinação e paciência. Essa determinação se dissipará se você não tiver paz. Aqueles que levam uma vida de ação social precisam especialmente praticar a plena consciência durante cada momento da vida cotidiana.

Thich Nhat Hanh - O Sol Meu Coração

terça-feira, novembro 07, 2006

Interser

Interser é uma nova palavra, não está no dicionário ainda,
mas espero que, breve, estará...
Temos palavra "ser",
mas o que eu proponho é a palavra "inter" ser
interser...
Porque não é possível ser sozinho, ser por si só.
Você precisa de outras pessoas para ser,
você precisa de outros seres para ser,
não apenas de um pai e uma mãe,
mas também de um tio, irmão, irmã,
da sociedade, você também precisa
do brilho do sol, dos rios, do ar,
das árvores, pássaros, elefantes, etc.
Assim, é impossível ser por si mesmo, sozinho.
Você tem de inter ser com todos e tudo o mais.
Portanto, ser significa interser.
O homem é feito de elementos não-homem,
este é o insight que emerge da prática da Plena Consciência.

Thich Nhat Hanh
(Vídeo - Peace is Every Step)