terça-feira, janeiro 06, 2009

O Primeiro Toque da Terra

Com este primeiro, iniciamos o ano com a prática dos Três Toques da Terra. É uma prática muito especial que nos ajuda a retornar à Terra e às nossas raízes espirituais e de sangue, restabelece a comunicação e as conexões que costumamos perder pouco a pouco em meio à nossa vida.

Como praticar? (Clique aqui)


Primeiro Toque da Terra


Tocando a terra, conecto-me aos meus ancestrais e aos descendentes das minhas duas famílias: a espiritual e a de sangue. Meus antepassados espirituais são o Buda, os bodhisattvas, o nobre sangha de discípulos, [por favor, insira outros nomes que você gostaria de incluir, como os de Jesus, Moisés, Maomé etc] e meus próprios mestres espirituais ainda vivos ou falecidos. Eles estão presentes dentro de mim porque me transmitiram sementes de paz, sabedoria, amor e felicidade. Despertaram em mim os meios da compreensão e da solidariedade. Quando olho para os meus antepassados espirituais, vejo aqueles que são perfeitos na prática dos preceitos, da compreensão e da solidariedade e também os que não atingiram a plena perfeição. Aceito todos eles, pois reconheço que possuo imperfeições e fraquezas. Consciente de que nem sempre sou perfeito na prática dos preceitos e que nem sempre sou compreensivo e solidário como gostaria de ser, abro meu coração e aceito todos os meus descendentes espirituais. Alguns deles praticam os preceitos, a compreensão e a solidariedade de um modo que inspira confiança e respeito, mas existem também os que encontram muitas dificuldades e estão constantemente sujeitos a altos e baixos na sua prática.

Da mesma maneira, aceito todos os meus antepassados maternos e paternos. Aceito todas as suas boas qualidades e ações virtuosas, bem como todas as suas fraquezas. Abro meu coração e aceito todos os meus descendentes de sangue com as suas boas qualidades, talentos e também com suas fraquezas.

Meus antepassados e descendentes espirituais e de sangue fazem, todos eles, parte de mim. Eu sou eles e eles são eu. Não tenho um eu separado. Tudo existe como parte de uma maravilhosa corrente de vida que está em constante movimento.

1 comentários:

arnaldo disse...

Samuel... lindo texto e sem duvida alguma, uma técnica maravilhosa...
assiti a pouco tempo uma palestra com um psicologo, que falou sobre a importancia de rompermos com a hereditariedade, que trazemos karmas de nossos ancestrais... penso que com esta tecnica, poderemos transcender isto...
quando posso tenho visitado seu blog, e fico feliz, extasiado na verdade, com a sabedoria e grandiosidade encontrada no ensinamento...
gostaria de agradecer, por colocarem um ensinamento tão grandioso ao alcance de quem busca...
visitando alguns blogs budistas, me apaixonei pelo ensinamento e espero muito em breve poder percorrer este caminho.
sei que nao sera facil, devido as dificuldades, que tenho...
mente, karma, conflitos, idade...
mas acho que nunca é tarde para buscar o aperfeiçoamento.
parabéns pela dedicação, tenho certeza que as hierarquias divinas, irão recompensa-los... com força e sabedoria.
abraços,
arnaldo